INVESTIGACAO.jpg

Investigação/

Projeto DentalBlast - Revestimentos com atividade antibacteriana

 

O projeto DentalBlast pretendeu desenvolver e validar novos revestimentos com atividade antibacteriana, para posterior aplicação em implantes dentários. Este projeto surgiu dada a necessidade de os médicos dentistas terem a possibilidade de disporem, para os seus pacientes, de implantes imunes à patologia peri-implantite. Os implantes dentários são cada vez mais usados na prática clínica do médico dentista e cerca de 26% a 56% dos mesmos serão afetados pela peri-implantite, levando, na maioria dos casos, à perda dos implantes. Com o projeto DentalBlast, o consórcio pretendeu contribuir para a resolução do problema referido, através de uma solução inovadora usando revestimentos à base de um compósito formado por biovidro (BG) e hidroxiapatite (HAp) com atividade antibacteriana produzidos por Coblast. Paralelamente, pretendeu-se que, através de uma ósseo-integração mais rápida, a formação de biofilmes à superfície do implante seja igualmente dificultada. Este objetivo foi atingido através da ativação da superfície dos revestimentos por polarização elétrica dos mesmos. Os implantes apresentam inúmeras vantagens aos pacientes, permitindo ainda que o revestimento se torne uma solução de referência, ao nível do desempenho clínico. O projeto DentalBlast contou com a forte experiência da empresa líder na área dos revestimentos para a área ortopédica e permitirá à mesma posicionar-se no mercado internacional da implantologia dentária. Para além da empresa promotora, o consórcio integrou a Universidade Nova de Lisboa (FCT-UNL), a Universidade de Aveiro (UA) e o Hospital Veterinário de São Bento (HVSB). O projeto foi financiado no âmbito do SI IDT Copromoção (projeto nº 17956).

Projeto Reset Bone Ageing- Revestimento para próteses ortopédicas com capacidade de aumentar a regeneração de tecido ósseo envelhecido

O presente projeto pretende desenvolver um revestimento para dispositivos ortopédicos com capacidade de “rejuvenescer” o tecido ósseo envelhecido e aumentar a sua capacidade de regeneração. Este revestimento oferecerá vantagens competitivas relativamente a outras estratégias documentadas na literatura, como sejam as terapias celulares, em termos de produção, custo e facilidade de utilização.

O revestimento consiste na imobilização física de vesículas extracelulares (com carga negativa) na superfície de dispositivos ortopédicos de titânio através de um peptídeo antimicrobiano (carga positiva). O peptídeo serve como ponto de ancoragem das vesículas extracelulares isoladas de células mesenquimais do Wharton Jelly.

Imagem1.png
69790_Barra de Cofinanciamento.jpg
 

Parcerias /